Babalorixá Paulo Newton de Almeida
 

BIOGRAFIA

babapaulo.jpg

Advogado, médium, estudioso de filosofias da espiritualidade, espiritualista, Babalorixá de Umbanda, radialista, redator, escritor, idealizador, fundador e presidente do templo umbandista A Caminho da Luz, situado ainda hoje no número 89 da rua Mario Portela, no bairro carioca das Laranjeiras, esses são alguns dos epítetos que se podem atribuir ao Paulo.


O templo, de importância central em sua trajetória como estudioso da espiritualidade, foi fundado em novembro de 1967 e inaugurado em 23 de abril de 1968. Da década de 1970 até seu falecimento em julho 2018, apresentou na Rádio Guanabara, emissora pertencente à Rede Bandeirantes do Rio de Janeiro, o programa "A Caminho da Luz", dedicado ao espiritualismo em geral, à Umbanda e à Umbanda esotérica em particular, no qual permaneceu por 49 anos, conquistando grande audiência e notável popularidade.


Também atuou nas Rádios Copacabana e Manchete. Ainda na década de 70, trabalhou como redator responsável pela revista "A Caminho da Luz", voltada aos mesmos temas e que se podia encontrar em bancas de jornal. Também atuou como editor-diretor da Revista Independente "Umbanda Século XX e XXI". Abaixo, um excerto do texto autoral em que descreve parte de sua jornada:

“Nasci em uma família tradicional brasileira, na década de 1930, ou seja católica por condição social, umbandista por necessidade, aos quinze minutos do dia 14-11-1939, portanto em plena Hora Grande, dedicada aos nossos grandes amigos em evolução Exú e Pombagira, que tenho como “Padrinhos”; segundo parentes ainda vivos e que podem atestar o que estou narrando, saí do ventre de minha mãe, através [d]a parteira (hábito comum na época) e fui direto, ainda “sujinho”, para os braços de um Preto Velho que estava em terra; começava ali a minha vida espiritual umbandista.


Cresci normalmente, inclusive, estudando em colégio de irmãos maristas, Externato São José, mas sempre conversando com os “velhos” e o Caboclinho da Mata que sempre adorei e em toda ritualística que realizavam, lá estava eu, assistindo, sério, convicto.


Aos treze para quatorze anos, de repente, comecei a sentir modificações em meu pensamento, modo de agir, agressivo e certo dia durante uma aula de Religião, olhei para o irmão marista e não o vi, vendo outra pessoa; cientifiquei-o de tal fato e obtive como resposta: vá rezar o terço. Quanto mais rezava, mais via pessoas diferentes que se confundiam com pessoas reais; comecei a sentir alterações em meu sistema nervoso e começaram a buscar infrutíferas aos consultórios médicos. Após algum tempo, resolveram me levar a um Centro Kardecista e lá chegando observei fatos que em vez de me acalmarem, me impressionaram negativamente, como médiuns recebendo obsessores que gritavam e rolavam pelo chão; saí dali apavorado e se falassem em ESPIRITISMO comigo, eu brigava.


Fatores gerais começaram a atuar em minha vida, física e psicológica e quando, já quase em um desespero, me levaram a uma Senhora, parente distante, uma Yalorixá, que recebia uma Preta Velha; lá chegando “o mundo desabou sobre mim”, “senti tudo que tinha direito” e quase incorporei. Começou ali uma etapa nova e naquele momento, tive mais uma ajuda importante, não só da futura minha Mãe no Santo, como também da querida Preta Velha, que seria um marco em minha vida. Começara a minha iniciação.


Certo dia estava em casa, meio tristonho e envolto em meus pensamentos, nem sempre positivos e agradáveis, quando de repente comecei a me sentir esquisito, diferente, maior do que o meu próprio corpo; a mente não obedecia ao meu comando, o ar faltava, a pulsação acelerada e a sensação eminente de um desfalecimento, quando senti perder totalmente o controle: era dia 08 de maio de 1955; era a presença do meu pai, meu amigo, CABOCLO DA LUA. Não podem imaginar o que senti e para terem uma pequena ideia, chorei convulsivamente uma madrugada inteira, colocando para fora tudo de negativo que eu havia passado.


No dia 08 de maio, renasci e começou então a minha verdadeira vida. O estudo, aprendizado, a disciplina, a fé, o respeito a tudo que se relacione com o Santo, enfim diretrizes ditadas pelo CABOCLO DA LUA e que norteiam a minha vida até hoje, quando completo 40 anos no Santo, ininterruptos.


Esta edição especial de UMBANDA SÉCULO XX, não é composta de ensinamentos técnicos e sim filosóficos; é um agradecimento especial a todas as vibrações espirituais e a todos que me ajudaram a percorrer um caminho difícil, porém, para quem o compreende, repleto de dádivas.”



 

“Como é bom saber-se protegido por esses Anjos, aparentemente invisíveis e como é bom encontrar na força da natureza, a sua presença, meu amigo, meu pai, meu guia 


CABOCLO DA LUA”.